EVENTO ADIADO DEVIDO AS FORTES CHUVAS!






Carla Minhoca, ex-dançarina de Silvano Salles, é presa por tráfico de mulheres

Ela participava de uma quadrilha que explorava brasileiras na Itália e na Eslovênia, incluindo cerceamento de liberdade. A mesma operação prendeu 5 estrangeiros no Ceará


Carla Minhoca, ex-dançarina da banda Fantasmão e do cantor Silvano Salles, cujo nome de batismo é Carla Sueli Silva Freitas, foi presa na última quarta (15). Ela e outras 14 pessoas são acusadas de participação em uma quadrilha internacional que explorava brasileiras na Itália e na Eslovênia. Minhoca foi detida em companhia de Dayana Paula Ribeiro da Silva e Emanuella Andrade Bernardo na Itália, em uma ação conjunta da polícia local, da Polícia Federal brasileira e da Interpol. A operação foi deflagrada também em Fortaleza, capital do Ceará, onde cinco estrangeiros foram capturados.
A quadrilha, segundo as investigações, agia no Brasil desde 2010 e levou mais de 150 mulheres para se prostituirem na Europa. Matéria do Fantástico, da TV Globo, afirmou que, em apenas um dia, o grupo chegou a transferir R$ 1 milhão para contas bancárias no Brasil. Cada garota cobrava cerca de R$ 620 por programa e atendia a mais de seis clientes por dia. Metade do dinheiro era entregue aos bandidos. O esquema usava agências de turismo para que as garotas entrassem no Velho Continente.
“Elas, às vezes, vão conscientes que vão ser exploradas sexualmente, mas não sabiam que iriam ter a liberdade cerceada. Porque quando elas chegam no local de destino os documentos são apreendidos e já chegam com uma dívida enorme, de tudo que é contraído aqui [no Brasil]”, afirmou Alexandra Xavier Nunes, do Ministério da Justiça.
Carla Minhoca será extraditada para o Brasil, em data ainda não divulgada, junto às duas mulheres presas. Se condenadas, elas podem pegar até 25 anos de prisão pelos crimes de tráfico internacional de pessoas, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

VEM PARA RUA!!!!!!
CARNAVAL SOCIAL 2017 - BLOCO DOS INVISÍVEIS

“Um lindo desafio espera por você! ”

 “Um lindo desafio espera por você” – Foi com essa mensagem que as mulheres que frequentam a sede do Projeto Força Feminina foram acolhidas, retomando as ações que são desenvolvidas em prol da defesa dos seus direitos e da sua visibilidade sem estigmas na sociedade.
Em 2017, o PFF, Unidade Oblata em Salvador, oferece de segunda a sexta-feira, atividades que estimulem as mulheres sobre a importância do cuidado com o corpo e com a mente e, acima de tudo, a valorização pessoal, o autoconhecimento e a autoestima.


Entre as várias atividades realizadas, acontecem internamente a Oficina Roda de Conversa com o objetivo de promover espaços de diálogo e com intuito de fortalecer a atuação das mulheres na sociedade, intervindo de forma afirmativa no que tange o acesso aos seus direitos sociais; Oficina Roda Viva que promove uma aprendizagem voltada para as artes e trabalhos manuais bem como, ressaltar as potencialidades inerentes a cada mulher; o Cantinho da Beleza que é um espaço de cuidado, encontro e reencontro de mulheres, tendo como estratégia utilizar os recursos na linha da beleza, com ênfase no resgate da autoestima relacionado a outros cuidados, como: a saúde, higiene do corpo e mente; o Grupo de Espiritualidade com o objetivo de reconhecer a divindade em cada mulher e no contexto histórico que elas habitam, percebendo essa realidade desde o respeito com a cultura e a história de cada uma delas. Além de mais dois espaços de acolhida com perspectivas diferenciadas no que se refere à estratégia, mas em consonância nos resultados esperados: fortalecimento dos vínculos e possibilidade de mudança em aspectos claros na vida das mulheres atendidas.








Equipe de Comunicação do PFF – Unidade Oblata em Salvador

Freiras vivem como prostitutas por uma razão inacreditável e chamam atenção do mundo


John Studzinski, é banqueiro e diretor de uma entidade chamada Talitha Kum, responsável por resgates de vítimas do tráfico de pessoas. Ele conta sobre uma técnica usada por esse grupo e que vai longe de qualquer coisa que você já tenha visto na vida. Um grupo de cerca de 1.100 freiras que se comprometeu de resgatar essas vítimas do tráfico de pessoas e a venda de crianças para escravidão. Talitha Kum é uma Rede Internacional da Vida Consagrada que enfrenta uma luta intensa contra um dos maiores males que tem uma história longa e triste.


O projeto nasceu no seio da UISG, um movimento que foca na vida consagrada e promove diálogos entre congregações na Igreja Católica. O Talitha Kum veio desses encontros e retiros e atualmente é financiado pelos Estados Unidos e pela Secretaria do povo Refugiado e Migrante.
Para isso, as irmãs se infiltraram em bordéis fingindo serem prostitutas e tentam ajudar essas mulheres que são mantidas à força nesses locais. Criado em 2004, estima-se que 1% da população mundial é traficada de alguma forma, o que representa 73 milhões de pessoas, sendo que 70% destas são mulheres. “Essas irmãs não confiam em ninguém. Elas não confiam nos governos, não confiam em corporações, e não confiam na polícia local. Em alguns casos, elas não podem confiar nem no clero masculino”, conta John.


O grupo também reune dinheiro para "comprar" crianças que seriam vendidas como escravas por seus pais. Com a criação de casas específicas para receber essas crianças nos países da África, Filipinas, do Brasil e da Índia.
Se você quiser conhecer mais desse projeto, confira no site do Talitha Kum.
FONTE: Bestofweb

Resgatada a garota de 13 anos que se prostituía para pagar bebidas e cigarro para a mãe