sexta-feira, 15 de junho de 2018

15 de Junho, Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa


Acesse o site: http://www.pastoraldapessoaidosa.org.br/index.php/23-news/326-15-de-junho-dia-mundial-de-conscientizacao-da-violencia-contra-a-pessoa-idosa

Vice-chefe da ONU denuncia ‘pandemia global’ de violência contra as mulheres



Em Bruxelas, a vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, alertou nesta semana que ataques e discriminação contra as mulheres estão profundamente encravados em normas, atitudes e práticas sociais.
Atualmente, segundo a ONU, uma em cada três mulheres é ou será vítima de violência de gênero no mundo. Quase metade das mulheres assassinadas são mortas por um parceiro ou ex-parceiro.
Vice-chefe da ONU Amina Mohammed em evento em Bruxelas sobre desenvolvimento e igualdade de gênero. Foto: ONU/Christophe Verhellen
Em Bruxelas para o fórum Dias Europeus de Desenvolvimento, a vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, alertou nesta semana (5) para o que descreveu como uma “pandemia global” de violência contra as mulheres e meninas. Dirigente cobrou que países ponham um fim aos abusos motivados por questões de gênero — quando uma mulher é agredida simplesmente por ser mulher.
“Ataques e discriminação estão profundamente encravados em normas, atitudes e práticas sociais”, afirmou a representante das Nações Unidas. “Transformar essas mentalidades exigirá investimentos significativos de tempo, recursos e vontade política.”
Atualmente, segundo a ONU, uma em cada três mulheres é ou será vítima de violência de gênero no mundo. Em média, por ano, 17 milhões de meninas se casam quando ainda são menores de idade. Quase metade das mulheres assassinadas são mortas por um parceiro ou ex-parceiro.
Amina também chamou atenção para a marginalização econômica das mulheres — em média, a diferença salarial entre elas e os homens é de 23%. Segundo a dirigente, o Banco Mundial estima que a participação igualitária na força de trabalho liberaria 160 trilhões de dólares para a economia — o equivalente a 2% do Produto Interno Bruto (PIB) do planeta. Recursos, disse a vice-chefe da ONU, “poderiam se reinvestidos no desenvolvimento sustentável”.
Na visão da representante das Nações Unidas, a emancipação e a garantia dos direitos das mulheres é fundamental para que a comunidade internacional alcance os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). “Sem igualdade e empoderamento, vamos simplesmente perpetuar o paradigma de hoje: tentar enfrentar todos os desafios do mundo com apenas metade dos recursos do mundo”, disse.

Iniciativa visa combater feminicídio

Amina disse ainda que a iniciativa Spotlight, lançada no ano passado por uma parceria entre a ONU e a União Europeia, poderá transformar a violência de gênero em “algo do passado”. “A Spotlight se concentrará na forma mais extrema de violência, o feminicídio”, explicou a dirigente.
Segundo a vice-secretária-geral das Nações Unidas, frequentemente, na sequência desses homicídios, “descobrimos que as mulheres de fato denunciaram à polícia ou buscaram cuidado médico, mas os provedores de serviços não tinham informação adequada ou os meios para identificar o risco”.
Amina lembrou que, entre os ODS, existe um objetivo específico — o de número 5 — sobre igualdade de gênero. Suas metas incluem o fim de todas as formas de violência contra as mulheres. “Temos um longo caminho a percorrer. Mas temos um plano e temos a determinação.”



quinta-feira, 14 de junho de 2018

Projeto Força Feminina celebra Santo Antônio



Junho é um mês festeiro e quem inaugura o mês é Santo Antônio. Dia 13 é uma data especial para muitos católicos que rezam trezenas e lotam igrejas em todo país, especialmente no Nordeste.

No Projeto Força Feminina ontem foi dia de homenagear Santo Antônio, um santo muito popular, exemplo de humildade e amor ao menino Jesus. Frei Romário Santos, da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, estudante de Teologia realizou uma pequena celebração na qual benzeu as imagens, os presentes e os pãezinhos que foram ofertados ao final da festa.



Frei Romário encantou a todos com a história do milagre da língua incorrupta de Santo Antônio. “Embora tenha nascido na cidade de Lisboa, em Portugal, Santo Antônio é normalmente referido com o nome do local em que morreu, a cidade de Pádua (Padova), na região nordeste da Itália. A sua morte se deu a 13 de junho de 1231, quando o santo contava com apenas 36 anos de idade. Quando exumaram o corpo de Santo Antônio, os habitantes de Pádua descobriram a sua língua incorrupta. Desde então, o órgão repousa em um relicário especial, de onde recebe a veneração de inúmeros devotos e peregrinos até hoje.”¹



Santo casamenteiro, aquele que ajuda a achar objetos perdidos, santo querido por muitos, foi festejado com muita alegria pelas mulheres atendidas e pela equipe do PFF. Com devoção, os presentes cantaram as músicas em homenagem ao santo, lavaram as mãos em água de alfazema, enquanto o altar e o ambiente eram incensados, os pedidos feitos foram queimados e a fumaça subiu aos céus na certeza de que Santo Antônio não se esquece de ninguém!


Que Santo Antônio abençoe seus devotos e a todxs!!!

Viva Santo Antônio!
Viva!!!




 Leia mais sobre a língua incorrupta de Santo Antônio em: https://padrepauloricardo.org/blog/a-lingua-incorrupta-de-santo-antonio-de-padua






segunda-feira, 11 de junho de 2018

Mulheres denunciam ao MP-SP aumento da violência e falta de equipamentos públicos

Enquanto números de estupros e feminicídios continuam subindo – mais ainda para as mulheres negras –, Casa da Mulher Brasileira segue fechada
por Redação RBA publicado 08/06/2018 12h03, última modificação 08/06/2018 14h23
MÍDIA NINJA
Violência contra a mulher
"Não importa se é doutora, jornalista ou deputada, mulheres são vulneráveis. São muitos casos"
São Paulo – Movimentos de mulheres estiveram nesta quinta-feira (7) no Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) para denunciar o aumento dos casos de feminicídio e estupros, a lentidão da Justiça na resolução e punição desses casos, e a falta de equipamentos públicos voltados para a assistência das vítimas. 
De acordo com dados da secretaria de Segurança Pública de São Paulo, a quantidade de estupros notificados no estado de São Paulo aumentou 250%num período de 10 anos. Já segundo o Atlas da Violência 2018, o número de feminicídios de mulheres negras cresceu 15,4% no país entre 2006 e 2016.
Apesar desses números alarmantes, a Casa da Mulher Brasileira, equipamento destinado à prevenção e enfrentamento da violência contra a mulher, está pronto, com verba específica destinada ainda durante o governo Dilma, mas não funciona, graças à má vontade dos governos municipal e estadual. 
Responsável pela destinação das verbas quando era ministra da secretaria de Política para as Mulheres, Eleonora Menicucci diz que o não funcionamento da casa é "absolutamente impensável", e denuncia "omissão" do poder público. 
"Ela está pronta. Quando ministra, investimos R$ 15 milhões, e deixamos empenhado outros R$ 4 milhões. É dinheiro público. É absolutamente impensável. De um lado, as mulheres continuam sendo estupradas, assassinadas, e do outro um equipamento de uma política pública das mais avançadas, premiada pela ONU, fechada", afirmou a ex-ministra à repórter Ana Rosa Carrara, da Rádio Brasil Atual.
"Não importa se é doutora, se é jornalista ou deputada, mulheres são vulneráveis. São muitos casos. O feminicídio lamentavelmente faz parte do nosso cotidiano. A eliminação de mulheres negras pelo feminicídio é sistemática. É preciso entender que nós temos uma estrutura conivente com a eliminação de uma parte de sua população majoritária, isso se chama limpeza étnica. Nós, mulheres negras, estamos em estado de absoluta vulnerabilidade", denunciou a integrante da Marcha das Mulheres Negras Dulce Maria Pereira. 
Durante a audiência, representantes do MP relataram que a extinção da secretaria municipal de política para as mulheres pelo ex-prefeito João Doria (PSDB) foi um ato inconstitucional, e que já existe processo para recriação da pasta. A promotora de Justiça Valéria Scarance, responsável pelo núcleo de gênero do MP-SP, saudou a iniciativa das mulheres. "É importante que elas se unam. Mulheres unidas falam muito mais que uma mulher só."

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Polícia pede prisão de encanador que espancou e matou mulher em Simões Filho

Vítima morreu dias após sofrer duas agressões seguidas por ciúmes

Encanador estava em liberdade provisória por tráfico de drogas (Foto: Reprodução)
A Polícia Civil pediu a prisão preventiva do encanador Ivan Santos de Jesus, 32 anos, suspeito de espancar sua esposa, a manicure Ana Mélia dos Santos, 36, no último dia 20 de maio. O suspeito agrediu a mulher, mãe de três filhos, com socos e pontapés após uma crise de ciúmes. O crime aconteceu na Rua da Linha, no bairro de Aratu, em Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador (RMS), por volta das 8h. 
A vítima, após ser espancada, foi encaminhada por familiares para o Hospital do Subúrbio, em Salvador, onde deu entrada na unidade de saúde com várias escoriações pelo corpo e com o diagnóstico traumatismo craniano.
Ela permaneceu internada durante quase uma semana até morrer no último dia 26. O corpo da manicure foi enterrado um dia depois de sua morte, no dia 27, no Cemitério São Miguel, em Simões Filho. 
A polícia pediu a prisão preventiva do encanador que está desaparecido desde o dia das agressões. Ivan estava em liberdade provisória por tráfico de drogas.
A polícia, após o crime, solicitou a volta do suspeito para o regime fechado. Também foi solicitada a prisão por feminicídio. 
O caso está sendo acompanhado pela 22ª Delegacia (Simões Filho).
Dois ataques
De acordo com familiares da vítima, o encanador chegou em casa no dia do crime de madrugada, depois de uma festa, na companhia de um amigo que acabou dormindo na residência do casal. 
Já no início da manhã, Ivan, após ficar com ciúmes do amigo, começou a discutir com a esposa. Ele pediu que o amigo fosse embora e, logo em seguida, passou a desferir socos e pontapés na companheira, sobretudo na região da cabeça.
Após escutar o barulho das agressões, o pai da manicure e um irmão que moram ao lado da casa onde o casal vivia, socorreram a vítima, mas não acionaram a polícia. 
O encanador, após o espancamento, saiu de casa, mas, minutos depois, retornou para continuar com as agressões. Dessa vez, no entanto, nenhum familiar da vítima estava por perto.
A manicure foi socorrida por outro parente que a encaminhou para o Hospital do Subúrbio. 
De acordo com irmão de Ana Mélia, Paulo Roberto do Santos, o cunhado não havia demonstrado antes comportamentos agressivos. O crime pegou a família de surpresa.
"Ele tinha problemas com drogas. Tentamos até fazer ele sair dessa vida. Não esperávamos que um dia ele pudesse fazer isso com ela. Estamos surpreso", disse Paulo.
Ana Mélia tinha um casal de filhos de outro casamento. Com o encanador, ela tinha uma filha de 9 anos. As crianças não presenciaram as agressões.
Salvador
Já na capital baiana, Bruno Ramos dos Santos foi preso na manhã deste sábado (2) por agredir uma mulher na Rua Lima e Silva, no bairro da Liberdade, segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA). Ele foi localizado na mesma rua, após se envolver em um acidente de trânsito. O suspeito da agressão pilotava uma motocicleta modelo PCX 150, placa PKT 1957.
A vítima teve ferimentos e precisou de atendimento médico. De acordo com  o major PM Ricardo Silva, comandante da unidade de policiamento, a vítima e o agressor passaram por atendimento médico e foram levados para a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam/Brotas). O estado de saúde da mulher não foi divulgado.
Veja onde buscar ajuda em casos de violência doméstica
  • Cedap (Centro Estadual Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa) – Atendimento médico, odontológico, farmacêutico e psicossocial a pessoas vivendo com HIV/AIDS. Endereço: Rua Comendador José Alves Ferreira, nº240 – Fazenda Garcia. Telefone: 3116-8888. 
  • Cedeca (Centro de Defesa da Criança e do Adolescente Yves de Roussan) – Oferece atendimento jurídico e psicossocial a crianças e adolescentes vítimas de violência. Endereço: Rua Gregório de Matos, nº 51, 2º andar – Pelourinho. Telefone: 3321-1543/5196. 
  • Cras (Centro de Referência de Assistência Social) – Atende famílias em situação de vulnerabilidade social. Telefone: 3115-9917 (Coordenação estadual) e 3202-2300 (Coordenação municipal) 
  • Creas (Centro de Referência Especializada de Assistência Social) – Atende pessoas em situação de violência ou de violação de direitos. Telefone: 3115-1568 (Coordenação Estadual) e 3176-4754 (Coordenação Municipal) 
  • Creasi (Centro de Referência Estadual de Atenção à Saúde do Idoso) – Oferece atendimento psicoterapêutico e de reabilitação a idosos. Endereço: Avenida ACM, s/n, Centro de Atenção à Saúde (Cas), Edifício Professor Doutor José Maria de Magalhães Neto – Iguatemi. Telefone: 3270-5730/5750. 
  • CRLV (Centro de Referência Loreta Valadares) – Promove atenção à mulher em situação de violenta, com atendimento jurídico, psicológico e social. Endereço: Praça Almirante Coelho Neto, nº1 – Barris, em frente a Delegacia do Idoso. Telefone: 3235-4268. 
  • Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) – Em Salvador, são duas: uma em Brotas, outra em Periperi. São delegacias que recebem denúncias de violência contra a mulher, a partir da Lei Marinha da Penha. 
  • Deam Brotas – Rua Padre José Filgueiras, s/n – Engenho Velho de Brotas. Telefone: 3116-7000. 
  • Deam Periperi – Rua Doutor José de Almeida, Praça do Sol, s/n – Periperi. Telefone: 3117-8217. 
  • Deati (Delegacia Especializada no Atendimento ao Idoso) – Responsável por apurar denúncias de violência contra pessoas idosas. Endereço: Rua do Salete, nº 19 – Barris. Telefone: 3117-6080. 
  • Derca (Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente) Endereço: Rua Agripino Dórea, nº26 – Pitangueiras de Brotas. Telefone: 3116-2153. 
  • Delegacias Territoriais – São as delegacias de cada Área Integrada de Segurança Pública. Segundo a Polícia Civil, os estupros que não são cometidos em contextos domésticos devem ser registrados nessas unidades. Em Salvador, existem 16 (http://www.policiacivil.ba.gov.br/capital.html). 
  • Disque Denúncia – Serviços de denúncia que funcionam 24 horas por dia. No caso de crianças e adolescentes, o Departamento de Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos oferece o Disque 100. Já as mulheres são atendidas pelo Disque 180, da Secretaria de Políticas Para Mulheres da Presidência da República. Fundação Cidade Mãe – Órgão municipal, presta assistência a crianças em situação de risco. Endereço: Rua Prof. Aloísio de Carvalho – Engenho Velho de Brotas. 
  • Gedem (Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher do Ministério Público do Estado da Bahia) – Atua na proteção e na defesa dos direitos das mulheres em situação de violência doméstica, familiar e de gênero. Endereço: Avenida Joana Angélica, nº 1312, sala 309 – Nazaré. Telefone: 3103-6407/6406/6424. 
  • Iperba (Instituto de Perinatologia da Bahia) – Maternidade localizada em Salvador que é referência no serviço de aborto legal no estado. Endereço: Rua Teixeira Barros, nº 72 – Brotas. Telefone: 3116-5215/5216. 
  • Nudem (Núcleo Especializado na Defesa das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar da Defensoria Pública do Estado) – Atendimento especializado para orientação jurídica, interposição e acompanhamento de medidas de proteção à mulher. Endereço: Rua Pedro Lessa, nº123 – Canela. Telefone: 3117-6935. 
  • Secretaria Estadual de Políticas Para Mulheres Endereço: Alameda dos Eucaliptos, nº 137 – Caminho das Árvores. Telefone: 3117-2815/2816. 
  • SPM (Superintendência Especial de Políticas para as Mulheres de Salvador) – Endereço: Avenida Sete de Setembro, Edifício Adolpho Basbaum, nº 202, 4º andar, Ladeira de São Bento. Telefone: 2108-7300. 
  • Serviço Viver – Serviço de atenção a pessoas em situação de violência sexual. Oferece atendimento social, médico, psicológico e acompanhamento jurídico às vítimas de violência sexual e às famílias. Endereço: Avenida Centenário, s/n, térreo do prédio do Instituto Médico Legal (IML) Telefone: 3117-6700. 
  • 1ª Vara de Violência Doméstica e Familiar – Unidade judiciária especializada no julgamento dos processos envolvendo situações de violência doméstica e familiar contra a mulher, de acordo com a Lei Maria da Penha. Endereço: Rua Conselheiro Spínola, nº 77 – Barris. Telefone: 3328-1195/3329-5038.
Acesse o site: https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/policia-pede-prisao-de-encanador-que-espancou-e-matou-mulher-em-simoes-filho/

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Nova data do Cirandas Parceiras: 27/06! Compareçam!!!

O Encontro de Cirandas Parceiras, que seria realizado na tarde de hoje, foi adiado.
 Pedimos desculpas pelo cancelamento e contamos com a presença de todos em 27 de junho.





Denuncie para que outras não morram!



A cada 22 segundos, uma mulher é espancada no Brasil. Saiba onde denunciar: 

GEDEM - Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher
Av. Joana Angélica, 1312, Nazaré, Salvador - BA
Sede do Ministério Público do Estado da Bahia
Tel.: (71) 3321-1949/3266-4526
E-mail: gedem@mpba.mp.br

Promotorias de Justiça de Combate à Violência Doméstica
Rua Conselheiro Spínola, 77, Barris - Salvador - BA
Telefax: (71) 3328-1551/1195

Nas cidades do interior do Estado, procure a Promotoria de Justiça da sua cidade.