terça-feira, 6 de novembro de 2018

Vamos comemorar?


Em novembro tem Cirandas!


O último Encontro Cirandas Parceiras de 2018 ocorrerá no dia 28 de novembro de 2018!


DATA: 28/11/2018
LOCAL: PFF
HORÁRIO: 14
TEMA: O olhar da mídia sobre o femínicidio na Bahia
PALESTRANTE: NAIARA LEITE - Jornalista, mestranda em Comunicação e Formatos Narrativos (UFRB), ativista da Articulação de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB) e coordenadora do Programa de Comunicação do Odara Instituto da Mulher Negra.

Informações adicionais:
- Evento Gratuito

terça-feira, 23 de outubro de 2018

ATO - OUTUBRO ROSA

O Projeto Força Feminina - #Rede Oblata, realizou o Ato em alusão ao Outubro Rosa - Mês para sensibilizar sobre a prevenção do câncer de mama.


Com o apoio do Centro de Saúde 19° - Pelourinho foram distribuídos informativos com dicas de prevenção, identificação de sinais e a importância do autoexame, além de rosa confeccionadas pelas mulheres atendidas pelo Força Feminina e laços rosas - símbolo da campanha. 



“O movimento do Outubro Rosa ajuda a conscientizar as mulheres acerca da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e também a desmistificação da doença, pois quanto mais falamos, mais sabemos lidar e mais encontramos apoio”, ressalta uma pessoa abordada

#Força Feminina na Luta 
#Falar é preciso
# Importante realizar o autoexame
# Se toque






terça-feira, 2 de outubro de 2018

Começa o Outubro Rosa, mês de combate o câncer de Mama


#Mulheres em Movimento



O Projeto Força Feminina#Rede Oblata realizou o Seminário Cirandas Parceiras no dia 27 de setembro de 2018, Museu de Arte da Bahia com o tema: “Mulheres em Movimento: gênero, etnia e violação de direitos”.
A ação faz parte do Projeto de Sensibilização Social que tem como objetivo “dar visibilidade, ampliar o conhecimento público sobre a realidade das mulheres em situação de prostituição e incorporar o conhecimento produzido pela sociedade sobre a defesa dos direitos da cidadania, na perspectiva da mulher em situação de prostituição”.
Com a participação de parceiros, universitários da rede pública e privada, colaboradores e mulheres atendidas desenvolvemos um dia de reflexão acerca do universo da mulher negra que vem desconstruindo os “muros da invisibilidade” e “rompendo o silêncio”. Pessoas de referência em estudo de gênero, etnia e direitos ajudou na construção de conhecimento brindando nosso dia com temas, como:
“Sexo, Trabalho, Direito e Reconhecimento”, com a jurista Bárbara Lobo;

“Racismo, aborto e atenção à saúde: uma perspectiva interseccional”, com a Dr. Emanuelle Góes;
“Saúde mental da Mulher negra”, com a Dr. Jeane Tavares e
“Gênero – Racismo – Classe: Mulheres em Movimento Rompendo Subordinações”, com a Dr. Maria Inês.
O evento debateu amplamente o enfrentamento ao racismo contra a mulher negra, o fim da violência e a construção do bem viver dentro de uma sociedade machista, sexista e fascista. Em oportunidade, várias falas trouxe a conjuntura atual que vivenciamos no país.
Dra Jeane Tavares, abordou sobre a repercussão que o racismo tem na saúde mental da população negra, tema de fundamental importância para o contexto de atuação da Rede de Atenção Psicossocial uma vez que a população atendida é majoritariamente negra.
Dr. Maria Inês relata a importância de discutir sobre esses temas e reforça: “A articulação raça, gênero e classe determina as relações sociais e gesta as condições de vida e saúde; em se tratando da população feminina negra, gesta-as de forma a resultar num perfil mais crítico de saúde, posto que, além da subordinação de classe, tem por sobre si a subordinação de gênero e raça. É mulher e negra. As mulheres negras perdem mais anos de vida”.
Dr. Bárbara Lobo relatou a importância das instituições estarem mais próximas a realidade das mulheres que exercem prostituição, assim poderá desconstruir os estigmas que ronda esse universo. Em oportunidade trouxe o cenário político atual e a importância das mulheres se posicionarem através de movimento de luta – #elenão.
Dr. Emanuelle Goes trouxe sua pesquisa sobre a mulher negra e o aborto:
“Na atualidade as mulheres negras estão mais expostas a sofrer violências institucionais nos serviços de saúde. São as mulheres negras também que levam mais tempo esperando para serem atendidas e ficam menos tempo em atendimento com o profissional. As práticas racistas realizadas no passado ainda se refletem na atualidade, pois o racismo institucional e a discriminação racial são determinantes no cuidado, no atendimento nos serviços de saúde”.
Por fim, o evento foi brindado pela música de Cline Tinaut e Felipe Mota.
O Projeto Força Feminina agradece todxs que colaboraram para o sucesso deste evento. 

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Semana Criativa - 23 de setembro - Dia Internacional contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças



O Projeto Força Feminina – #Rede Oblata está desenvolvendo uma semana de reflexão sobre Exploração Sexual e Tráfico de Mulheres fazendo alusão ao dia 23 de setembro, data, em que as organizações sociais lutam para o combate à prática.

Na Semana Criativa os temas são dirimidos nas atividades já existentes, mas conta com o apoio de parceiros da Rede Socioassistencial e voluntários, eles, tornam os momentos ainda mais produtivos.



Contextualizando...

O Dia Internacional contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças surgiu a partir da promulgação da Lei Palácios, há 95 anos, exatamente no dia 23 de setembro de 1913, na Argentina. A lei foi criada para punir quem promovesse ou facilitasse a prostituição e corrupção de menores de idade e inspirou outros países a protegerem sua população, sobretudo mulheres e crianças, contra a exploração sexual e o tráfico de pessoas. Assim, guiado pelo exemplo argentino, no dia 23 de setembro de 1999, os países participantes da Conferência Mundial de Coligação contra o Tráfico de Mulheres escolheram a data como o Dia Internacional Contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças.

Inscrição aberta!


Você não pode perder!


quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Seminário Mulheres em movimento#

  • A Rede Oblata Brasil - Unidade Força Feminina - desenvolve o Projeto de Defesa e Garantia de Direitos – Sensibilização Social, pelo qual busca ampliar o conhecimento público sobre a realidade das mulheres em contextos de prostituição, além de fortalecer a rede de atendimento socioassistencial em prol das mulheres.

    Em setembro, promoverá o Seminário Mulheres em Movimento: gênero, etnia e violação de direitos, que abordará os seguintes temas:

    - Sexo, Trabalho, Direito e Reconhecimento.
    Palestrante: Bárbara Lobo - Jurista

    - Racismo, aborto e atenção à saúde: uma perspectiva interseccional.
    Palestrante: Emanuelle Freitas Góes – ISC/UFBA

    - Gênero, Racismo e Classe: Mulheres em movimento rompendo subordinações.
    Palestrante: Maria Inês UFBA

    - Saúde mental da Mulher negra.
    Palestrante: Jeane Tavares UFBA


    - Rede Dandaras
    Palestrante: Itana Sara

  • Evento #gratuito 


    Local: Museu de Arte da Bahia
    Av. Sete de Setembro 2340. Corredor da Vitória, Salvador

    Horário: 9h às 12h30 | 13h30 às 17h30


    Apoio: Museu de Arte da Bahia/Governo do Estado da Bahia

    Inscrições: http://bit.ly/seminariomulheresemmovimento

    Mais informações: 
    pffeminina@oblatas.org.br
    https://projetoforcafeminina.blogspot.com

    (71) 3322-5432
    (71) 9 8758-4875 (WhatsApp)

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Projeto Força Feminina no Grito dos Excluídos



Nem a forte chuva dispersou as pessoas que “gritam” por um mundo melhor, mais justo e humano, assim ocorreu, na manhã do último dia 07/09 o Grito dos Excluídos 2018 com o tema “Desigualdade gera violência, basta de privilégios”.

O Grito dos Excluídos é uma manifestação popular carregada de simbolismo, é um espaço de animação e profecia, sempre aberto e plural de pessoas, grupos, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos excluídos.

O Projeto Força Feminina, #redeoblata, não poderia ficar de fora dessa luta e “gritar” pelas mulheres que exercem prostituição, pelos seus direitos que diariamente são violados, pelo enfrentamento à violência...





A nossa Força é Feminina!!!

terça-feira, 4 de setembro de 2018

SEMANA CRIATIVA - GRITO DOS EXCLUÍDOS 2018


Mais um ano de luta e de dar visibilidade às mulheres que exercem a prostituição para que seu grito seja ecoado nessa sociedade ainda cheia de preconceitos.

O Projeto Força Feminina #redeoblatabrasil desenvolve a Semana Criativa em preparação ao Grito dos Excluídos que esse ano traz o tema: "DESIGUALDADE GERA VIOLÊNCIA: BASTA DE PRIVILÉGIO" . O objetivo desta semana é através de oficinas e participações de parceiros refletir sobre o tema e produzir materiais que possa contribuir para a visibilidade no dia do grito. 





Semana do #Voluntariado na #redeoblatabrasil

#Gratidão e muitas #bênçãos à nossa #voluntária Vania Sotero de Menezes!
Natural de Aracaju/SE
Formação: Pedagoga e Psicóloga
"Ser voluntária é uma condição plena de felicidade pela oportunidade que tenho de colocar os dons e talentos, que Deus me deu, à disposição dos meus irmãos e irmãs, retribuindo um pouco do muito que Ele me concede diariamente pela sua infinita bondade e misericórdia."

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

As algemas do relacionamento abusivo - Cirandas Parceiras



Com o tema “As algemas do relacionamento abusivo” ocorreu mais um Ciranda Parceira idealizado pelo Projeto Força Feminina - Rede Oblata, mediado por Laina Crisostómo, ela afirma: “Sou mulher, negra, mãe, feminista, advogada feminista, fundadora e presidenta da ONG TamoJuntas.”

Laina trouxe as percepções para identificar um relacionamento abusivo, além de avanços nas leis brasileiras para o enfrentamento a violência contra a mulher, um exemplo, a Lei Maria da Penha. 




Devido ao número de inscrições o evento teve que mudar de local, ocorrendo no Casarão da Diversidade – Pelourinho.

O Casarão é uma iniciativa do Governo do Estado, através Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, em parceria com um conjunto de organizações da Rede de Enfrentamento à Violência contra LGBT, além de vários setores da rede socioassistenciais, como: o NETP. 


O evento contou com a participação de estudantes, parceiros e mulheres atendidas.