sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Agradecimento!

O Projeto Força Feminina - Unidade da Rede Oblata, agradece a todos e todas que estiveram conosco em 2018 prestigiando nossas ações e colaborando para a luta contra à violação de direitos das mulheres que exercem a prostituição.

O trabalho em Rede nos torna ainda mais fortes e esperançosos mesmo diante de tantas injustiças sociais e tantos retrocessos. 

Em 2019 estaremos juntos para darmos continuidade a nossa caminhada!


Prospero Ano Novo!


Confraternização da Equipe Força Feminina

#pormaismomentoscomesse
#equipepff
#oimportanteecuidardequemcuida
#redeoblata



Confraternização Projeto Força Feminina



Todos os dias é dia de comemorar! Que nos próximos dias, em todos eles, busquemos a confraternização diária! Que todo mês seja oportunidade de se reunir em família e amigos! Que todos os dias seja dias de festa e que a comemoração seja em agradecimento a Deus por mais uma chance!

#confraternizacaocomasmulheres
#projetoforcafeminina
#redeoblata
#anoquevemtemmais






quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Confraternização nas Abordagens




No mês de dezembro o Projeto de Atendimento - Abordagem Social finaliza suas atividades nos locais de prostituição avaliando todo o caminho que foi traçado junto com as mulheres. Estes encontros tiveram como principal objetivo avaliar o percurso das ações realizadas no ano de 2018, assim como estabelecer metas para o trabalho do próximo ano. Nesta oportunidade foi realizada uma dinâmica de integração chamada Árvore dos Desejos




Durante a dinâmica foram levantadas as expectativas das mulheres em relação aos seus planejamentos em 2019. Foi um momento muito rico de confiança e entrega!



terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Avaliação Institucional 2018 em SP

🙏 Nós acreditamos em um mundo melhor! E percorremos o caminho, avaliando nossos avanços e desafios para planejar, com amor, os próximos passos. 💗

“O momento da Rede Oblata Brasil está em consonância com o Capítulo Geral da nossa Congregação, que apresenta o tema: “A audácia do espírito nos impulsiona a habitar novos horizontes.”
Ir. Beatriz Paixão - OSR

#direitoshumanos


"A Declaração Universal dos Direitos Humanos chega aos 70 anos nesta segunda-feira (10), uma oportunidade de enfatizar as importantes conquistas do documento das Nações Unidas e lembrar o mundo de que os direitos humanos de milhões ainda estão sendo violados diariamente.
Graças à Declaração, e o compromisso dos Estados com seus princípios, a dignidade de milhões tem sido protegida, sofrimento humano tem sido evitado e as bases de um mundo mais justo foram estabelecidas.
Michelle Bachelet, alta-comissária da ONU para os direitos humanos, disse em comunicado que o documento deixou de ser um “tratado de aspiração” para um conjunto de padrões que “permearam praticamente todas as áreas do direito internacional”."


Rede Oblata

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

O ataque dos machos brancos - A tensão de gênero, raça e classe marcou a eleição de 2018


Acesse a matéria: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/11/21/opinion/1542809746_443796.html

NOVEMBRO: MÊS DE RESISTÊNCIA!

Glória a todas as lutas inglórias que através da nossa história não esquecemos jamais salve o navegante negro que tem por monumento as pedras pisadas do cais 

Aldir Blanc e João Bosco

Novembro, o mês da Consciência Negra tem uma importância ímpar para os movimentos negros brasileiros, pelo fato de ser um mês rico em datas simbólicas para a nossa causa, tanto no Brasil, como no mundo.

O Projeto Força Feminina - #RedeOblata esteve presentes em espaços que favoreceram o debate.

Caminhada 20 de novembro



Cirandas Parceiras - Na Unidade Força Feminina





Roda de Conversa - CRAS CEASA e ITAPUÃ






terça-feira, 6 de novembro de 2018

Vamos comemorar?


Em novembro tem Cirandas!


O último Encontro Cirandas Parceiras de 2018 ocorrerá no dia 28 de novembro de 2018!


DATA: 28/11/2018
LOCAL: PFF
HORÁRIO: 14
TEMA: O olhar da mídia sobre o femínicidio na Bahia
PALESTRANTE: NAIARA LEITE - Jornalista, mestranda em Comunicação e Formatos Narrativos (UFRB), ativista da Articulação de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB) e coordenadora do Programa de Comunicação do Odara Instituto da Mulher Negra.

Informações adicionais:
- Evento Gratuito

terça-feira, 23 de outubro de 2018

ATO - OUTUBRO ROSA

O Projeto Força Feminina - #Rede Oblata, realizou o Ato em alusão ao Outubro Rosa - Mês para sensibilizar sobre a prevenção do câncer de mama.


Com o apoio do Centro de Saúde 19° - Pelourinho foram distribuídos informativos com dicas de prevenção, identificação de sinais e a importância do autoexame, além de rosa confeccionadas pelas mulheres atendidas pelo Força Feminina e laços rosas - símbolo da campanha. 



“O movimento do Outubro Rosa ajuda a conscientizar as mulheres acerca da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e também a desmistificação da doença, pois quanto mais falamos, mais sabemos lidar e mais encontramos apoio”, ressalta uma pessoa abordada

#Força Feminina na Luta 
#Falar é preciso
# Importante realizar o autoexame
# Se toque






terça-feira, 2 de outubro de 2018

Começa o Outubro Rosa, mês de combate o câncer de Mama


#Mulheres em Movimento



O Projeto Força Feminina#Rede Oblata realizou o Seminário Cirandas Parceiras no dia 27 de setembro de 2018, Museu de Arte da Bahia com o tema: “Mulheres em Movimento: gênero, etnia e violação de direitos”.
A ação faz parte do Projeto de Sensibilização Social que tem como objetivo “dar visibilidade, ampliar o conhecimento público sobre a realidade das mulheres em situação de prostituição e incorporar o conhecimento produzido pela sociedade sobre a defesa dos direitos da cidadania, na perspectiva da mulher em situação de prostituição”.
Com a participação de parceiros, universitários da rede pública e privada, colaboradores e mulheres atendidas desenvolvemos um dia de reflexão acerca do universo da mulher negra que vem desconstruindo os “muros da invisibilidade” e “rompendo o silêncio”. Pessoas de referência em estudo de gênero, etnia e direitos ajudou na construção de conhecimento brindando nosso dia com temas, como:
“Sexo, Trabalho, Direito e Reconhecimento”, com a jurista Bárbara Lobo;

“Racismo, aborto e atenção à saúde: uma perspectiva interseccional”, com a Dr. Emanuelle Góes;
“Saúde mental da Mulher negra”, com a Dr. Jeane Tavares e
“Gênero – Racismo – Classe: Mulheres em Movimento Rompendo Subordinações”, com a Dr. Maria Inês.
O evento debateu amplamente o enfrentamento ao racismo contra a mulher negra, o fim da violência e a construção do bem viver dentro de uma sociedade machista, sexista e fascista. Em oportunidade, várias falas trouxe a conjuntura atual que vivenciamos no país.
Dra Jeane Tavares, abordou sobre a repercussão que o racismo tem na saúde mental da população negra, tema de fundamental importância para o contexto de atuação da Rede de Atenção Psicossocial uma vez que a população atendida é majoritariamente negra.
Dr. Maria Inês relata a importância de discutir sobre esses temas e reforça: “A articulação raça, gênero e classe determina as relações sociais e gesta as condições de vida e saúde; em se tratando da população feminina negra, gesta-as de forma a resultar num perfil mais crítico de saúde, posto que, além da subordinação de classe, tem por sobre si a subordinação de gênero e raça. É mulher e negra. As mulheres negras perdem mais anos de vida”.
Dr. Bárbara Lobo relatou a importância das instituições estarem mais próximas a realidade das mulheres que exercem prostituição, assim poderá desconstruir os estigmas que ronda esse universo. Em oportunidade trouxe o cenário político atual e a importância das mulheres se posicionarem através de movimento de luta – #elenão.
Dr. Emanuelle Goes trouxe sua pesquisa sobre a mulher negra e o aborto:
“Na atualidade as mulheres negras estão mais expostas a sofrer violências institucionais nos serviços de saúde. São as mulheres negras também que levam mais tempo esperando para serem atendidas e ficam menos tempo em atendimento com o profissional. As práticas racistas realizadas no passado ainda se refletem na atualidade, pois o racismo institucional e a discriminação racial são determinantes no cuidado, no atendimento nos serviços de saúde”.
Por fim, o evento foi brindado pela música de Cline Tinaut e Felipe Mota.
O Projeto Força Feminina agradece todxs que colaboraram para o sucesso deste evento.